A importância da organização financeira em tempos de crise

Economistas e investidores já nos alertavam sobre o surgimento de uma nova crise financeira, um colapso na economia mundial igual ou pior ao que aconteceu em 2008. Obviamente, muitos ignoraram e tantos outros não tinham ou não buscavam informações a respeito. E, apesar dos alertas, era impossível prever com exatidão quando essa crise iria estourar. Cá estamos nós dentro dela, é real e só foi necessário um vírus para adiantar o seu acontecimento.

Ainda é cedo para determinar o tamanho dos impactos que o novo coronavírus causará a humanidade, mas uma coisa é certa: após a situação estar totalmente controlada, continuaremos a viver dias sombrios sob uma economia totalmente devastada. Mas entenda: a culpa não é do Covid-19, ele a penas deu um “empurrãozinho” em um problema muito maior que não parava de crescer desde 2008: a sede enlouquecida dos Bancos Centrais de injetarem dinheiro nos mercados.

Com isso, uma hora ou outra voltaríamos a padecer pelo mesmo erro de sempre: a irresponsabilidade e ganância dos nossos governos. E sabe o que é pior: pelo menos 80% da população brasileira não estava preparada para uma nova crise. Então, neste momento, quem não guardou dinheiro e não possui uma reserva de emergência passará dificuldades ainda maiores.

E agora, o que fazer? Para quem já está na pior o único jeito é aproveitar o momento para aprender boas lições e organizar a vida financeira. Esse é o único jeito de não passar apertos financeiros em momentos difíceis assim, especialmente em um cenário onde a queda nas solicitações de viagens para motoristas do Uber chegam a bater os 70%.

1. Defina suas metas

Na faculdade, no trabalho ou na vida sempre será necessário estabelecer metas para transformar sonhos em realidade. Por exemplo: se você quer ganhar R$ 250 por dia no Uber, o que será determinante para alcançar esse faturamento? Certamente, trabalhar mais horas e escolher boas regiões, certo? Do contrário – trabalhando sem metas -, a qualquer hora do dia você se sentirá confortável para desligar o aplicativo e ir para casa, mesmo que tenha faturado menos de R$ 150.

Ganhar R$ 150 em um dia com o Uber não é nada mau, mas será que é o suficiente para você alcançar outras metas, como a compra de um carro, de uma casa ou de uma viagem? Será o suficiente para você guardar dinheiro em sua conta para sobreviver em momentos de crise como o que estamos vivendo atualmente?

2. Não desperdice o seu dinheiro

Já parou para pensar o quanto de dinheiro você pode estar desperdiçando? Existem muitas formas disso acontecer, inclusive inconscientemente. Por exemplo: você demora muito ao tomar banho ou lavar o carro? Além de prejudicar o planeta, você também está prejudicando o seu bolso. O prejuízo pode até não ser grande no curto prazo, mas ao passar dos meses e anos esse dinheiro faria uma boa diferença na sua conta.

Obviamente, desperdiçar água não é o único jeito de perder dinheiro, pois você também pode provocar esse problema ao comprar roupas por impulso; ao comprar produtos em excesso ou desnecessários no supermercado; ao comer fora uma ou mais vez na semana; ao deixar equipamentos ligados na tomada quando não estão sendo utilizados e também ao deixar luzes acesas em ambientes que você ou outra pessoa não está presente.

3. Faça pesquisas antes de comprar

O seu dinheiro vale muito, principalmente para lojas, empresas e negócios que disputam entre si para fechar uma compra com você. Por essa razão é extremamente importante fazer uma pesquisa antes de comprar qualquer coisa. Como assim? Você deve estar se perguntando. É simples: você está interessado em comprar uma multimídia para o seu carro? Então que tal fazer um orçamento em pelo menos três lojas diferentes? Assim você pode obter o menor custo e tentar fazer as outras lojas abaixarem o valor ainda mais em relação ao menor preço que você encontrou.

Essa “técnica” vale para qualquer produto ou loja, mas nem sempre você conseguirá descontos maravilhosos, a não ser que a sua forma de pagamento seja dinheiro ou débito, pois nesse caso os descontos costumam ser ainda melhores e isso nem é uma novidade.

4. Use a técnica “então cancela”

Você já conhece a técnica “então cancela”? Normalmente ela funciona melhor com operadoras de celular, serviços de televisão, telefone e internet por assinatura, bancos e outras empresas nas quais você tenha planos mensais e possa entrar em contato via atendimento por funcionário. Basicamente, esses serviços costumam não ser muito baratos, especialmente se você é um novo cliente, porém com o uso correto da técnica “então cancela” você poderá obter bons descontos.

Como assim? É simples: se você está pagando R$ 120 por uma internet de 50 Megas e acha que está muito caro, basta você ligar na central de atendimento da empresa e dizer que não está feliz com o valor que está pagando e que provavelmente não conseguirá mais pagar pelos serviços. Obviamente, eles vão tentar fazer você desistir da ideia de conseguir algum desconto, então é nesse momento que você fala: então cancela. Isso mesmo, diga que irá cancelar o serviço. Geralmente eles costumam fazer boas reduções nos valores, mas lembre-se: não faça isso se você não for cliente a pelo menos 6 meses, pois as chances de obter sucesso serão menores.

5. Dê preferência para compras na internet

A menos que o gerente esteja enlouquecido ou esteja acontecendo uma queima de estoque, dificilmente você conseguirá comprar um produto em uma loja física com o mesmo valor que está sendo cobrado na internet, pois o motivo mais óbvio de todos não deixa isso acontecer: os custos de uma loja física superam (e muito) o valor gasto para se manter uma loja online. Por essa razão o ideal é que você sempre dê prioridade para compras na internet, em especial se estivermos falando de produtos como celulares, computadores, câmeras e filmadoras, tablets, eletrodomésticos, livros e eletroportáteis.

Além de garantir o melhor custo, você também poderá encontrar uma flexibilidade maior nos parcelamentos, embora esse não seja o método de pagamento recomendado se você realmente quer mudar a sua vida financeira, pois compras parceladas nos transmitem a falsa sensação de que temos dinheiro para pagar, o que consequentemente acaba nos impulsionando a fazer outras compras e acumular dívidas que nos impedirão de guardar dinheiro.

Mas fique esperto! Sempre procure saber informações a respeito do site que você fará a compra de um produto, pois muitos deles são falsos e podem aplicar golpes em você. No geral, recomendamos as seguintes lojas online:

  • Amazon
  • Magazine Luiza
  • Americanas
  • Casas Bahia
  • Ponto Frio
  • Mercado Livre
  • Carrefour
  • Walmart
  • Netshoes
  • Dafiti

Conclusão

Para guardar dinheiro e organizar a sua vida financeira você não precisa necessariamente ter o maior salário possível, mas saber gastá-lo da forma correta, controlar os seus impulsos de consumismo e, não menos importante, evitar desperdícios com água, energia e alimentação, pois ainda que pareçam pequenos, quando somados acabam fazendo uma boa diferença no seu patrimônio.

Esses são os primeiros passos que você precisa dar para aumentar gradativamente o seu dinheiro disponível em conta, evitando assim a necessidade de usar cheques especiais, empréstimos e cartões de crédito. No começo pode até ser difícil, mas com o tempo isso se tornará um hábito e você se sentirá muito mais seguro mesmo em tempos de crise como os que estamos vivendo atualmente em razão do coronavírus e da irresponsabilidade dos nossos governos.

Por fim, nas próximas situações de pandemia e crises econômicas mundiais que possam surgir – como sempre tem acontecido -, você estará financeiramente protegido e terá condições suficiente de ficar para ficar 6 meses ou mais vivendo daquilo que conseguiu guardar em tempos de “vacas gordas”.

Deixe um comentário